A aceitação dos meus cachos

Hoje eu parei para reparar em meus cabelos. Parei para reparar em cada voltinhas que eles dão, das mais fechadinhas às mais abertas; parei para reparar em seu comprimento, o quanto cresceu desde a última vez em que passei a tesoura; parei para reparar na sua cor, quando estou em um local escuro e quando estou exposta à luz solar…

Parei para reparar em tantas coisas. E reparando, lembrei de quando era pequena; de quando, eu queria de qualquer forma alisar os meus cachos. Porque simplesmente colocaram na minha cabeça que os cabelos cacheados/crespos eram uns cabelos ruins, feios, “duros”, “jubas” por causa do seu volume, etc. E, eu me sentia muito mal, odiava os meus cabelos com todas as minhas forças, chegava a chorar por não ter cabelos lisos.

Eu não alisei meus cabelos por completo, nunca. Mas usei muitas químicas para relaxar o máximo os meus cachos. Porém, com o passar do tempo, eu vi que não era o que eu queria, e sim, o que as pessoas queriam. E, não quis mais isto para a minha vida. Parei de usar química, fui cortando meus cabelos aos poucos (até chegar em um momento que me deu a louca, e cortei todas as partes relaxadas dos meus cabelos de uma vez só). Meus cabelos ficaram bem curtinhos. Ficavam para cima, por causa do comprimento bem curtinho e por causa da sua leveza. Muitas pessoas falaram que estava horrível, que eu parecia um menino, etc. E, com isto, ganhei novos apelidos. Como: “árvore”, “disco voador”, “espanador”, etc.

Mas desta vez, não me senti mal, nem liguei. Até ria junto com as outras pessoas das piadas! Porque eu aceitei os meus cabelos do jeito que eles são e não liguei para o que as outras pessoas achavam. Mas se fosse aquela menininha, que chorava por não ter cabelos lisos, ela choraria mais ainda e a vontade de alisar seus cachos, aumentaria.

Hoje meus cabelos estão um pouco maiores, não tanto. Mas eles não ficam mais para cima, por causa do peso; hoje eu amo os meus cabelos e estou muito satisfeita com eles. Hoje eu parei para reparar em meus cabelos. Parei para reparar em cada voltinhas que eles dão, das mais fechadinhas às mais abertas; parei para reparar em seu comprimento, o quanto cresceu, desde a última vez em que passei a tesoura; parei para reparar na sua cor, quando estou em um local escuro e quando estou exposta à luz solar…

Hoje, eu parei para reparar em meus cabelos e os aceitei, me apaixonei mais uma vez.

Texto da leitora beatriz sampaio. Quer enviar o seu também? Clique aqui.

Conheça nosso Instagram @1quartodecafe

 

Comentários no Facebook