Ela é de exatas. Sim, ela é daquelas meio bravas que vez ou outra fica cabreira com o 5 que poderia muito bem ter sido um 7 se o professor colaborasse. Ela ouve o som no último volume e não imagina sua vida sem os fones. O dia todo pensando em formas de solucionar seus problemas, ganhar mais dinheiro, comprar blusinhas novas. 
Ela acorda cedo, caminha, trabalha, estuda, dirige, cuida do gato, ajuda a mãe, fala com o crush, tagarela sobre aquele trabalho chato que tem de ser entregue ainda hoje … Faz mil coisas ao mesmo tempo, pois necessita gastar toda aquela energia que há em si. Ela não se desliga, e não sabe como as demais pessoas conseguem fazer isso. 
Ela gosta de altos prédios, e de passar sobre pontes. Quando vê aviões, sente o sabor da liberdade e idealiza o dia em que seu passaporte terá tantos carimbos que precisará de outro.
Ela é de exatas, por isso, está sempre buscando o lado certo das coisas. É 8 ou 80; cala ou grita, vai ou fica. De meio termos em sua vida, nem o chocolate que é doce ou amargo, nada de “meio” amargo.
Mas também é de humanas com seu cabelo vez solto, vez preso num rabo de cavalo um pouco bagunçado. É de humanas com seus papos sobre signos, e sua constante certeza de que o crush pisciano lhe dará trabalho para perceber os muitos sinais. Ela é cheia de cores, do batom à calça. Um dia usa a intensidade do vermelho nos lábios, contrastando com o branco do sorriso, e no outro aparece só com manteiga de cacau. Ela canta de Tiago Iorc à Kesha, e se um dia questionou o funk, hoje o toma por melhor amigo da noite.
Ela está sempre sorrindo e rindo da vida, das fotos antigas, da vida. Nasceu para mostrar aos dias que quem faz a ordem de seu calendário é ela mesma, e nada de querer atrapalhar isso. Quando o dia nasce cinzento, ela faz questão de ser o próprio sol e iluminar tudo por onde passa. 
Ela gosta de fazer brigadeiro, de ler textos e de observar o fluxo de carros em avenidas. Quando senta na janela do ônibus, vê um filme passar diante de seus olhos, e isso a fascina. À noite tem dificuldade para dormir devido a imensidão de pensamentos. Como disse Hazel Grace “seus pensamentos são estrelas que ela não consegue organizar em constelações”.
Ela é de exatas, mas também é de humanas. E por isso, sempre tropeça no que há de mais humano em si, e seu frágil coração se entrega à procura de um príncipe que não seja tropeço, e sim começo.
Mas apesar de exata e humana, ela também é vida, logo, ela também é de biológicas. Meu Deus, que mulher! Projotta uma vez cantou que “ela gosta de flores, ama os animais; coisas simples pra ela são as coisas principais”, e sem dúvida alguma esse trecho se aplica à sua realidade.
Não pode ver animais abandonados nas ruas; os pais já tentaram lhe proibir de trazer mais um para casa. Gosta de filhotes, rosas e borboletas azuis. Se pudesse, viveria à beira-mar, ou ao lado de uma cachoeira. Esse contato com a mãe terra traz alívio aos seus dias, e o silêncio da natureza é capaz de gritar mais alto que seus pensamentos.
Ela acredita na vida, e luta por isso. É encantada com as doações de sangue, de órgãos e de qualquer outra coisa capaz de contribuir para que haja esperança no viver de alguém. Ela gosta de cinema, de caminhar por longos períodos e de observar as estrelas. Encanta-se com o sincero, com o belo, com o que vem do coração, e não com o caro. O luxo faz seus olhos brilharem, mas o verdadeiro incendeia seu coração. 
Ela é de exatas, humanas e de biológicas, e por ser bio, é vida, e por ser vida, é essência. Ela precisa do interior para poder existir. Mede as pessoas por suas ações, e não por posição social ou sobrenome.
Ela é a união de todas as coisas, e isso é o que a faz marcar tudo e todos por onde passa. Impossível esquecer uma garota que a todo instante está medindo suas palavras e que aparentemente sempre sabe a hora certa para dar o xeque-mate. Ilusão é acreditar que todos os dias você estará ao lado da mesma pessoa. De manhã ela é menina, no almoço já se tornou mulher. À tarde é uma jovem senhora, e à noite, volta a ser adolescente. Ela é mistério, é encanto, é uma mistura de jazz com rock n’ Roll, é a liberdade de estar preso apenas em si mesmo.
Ela é a mistura de tudo o que você já encontrou, e a resposta das perguntas incomuns. Mas também é equação que para ser resolvida necessita de tempo, concentração e uma boa dose de vontade de aprender. Ela é o sorriso mais bonito que você há de ver se abrir, mas também é a dor da saudade de tê-la por perto. Ela é de exatas, humanas e biológicas. Ela é a maior adrenalina que já correu em suas veias.
Facebook Comments