“Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.” SINOPSE

“Todo dia” é um dos meus livros preferidos da vida, sério. Não tenho palavras certas para definir o que ele me fez sentir, só sei dizer que é incrível. Também não quero contar a história em detalhes porque esse é o tipo de livro que você precisa ler e se eu der alguma dica o encanto acaba, né? Apaixonei logo de cara pela capa, pela cor levemente amarelada das páginas e até pelo cheiro. (Isso mesmo, eu cheiro todos os meus livros. São como perfumes para mim!)

Ele conta basicamente a história de “A”, através da sua perspectiva. “A” não é homem, nem mulher. Também não posso dizer que é um ser humano como todos nós. É “alguém” diferente que acorda todos os dias no corpo de uma pessoa. A cada 24 horas ele muda de corpo, de vida, de história e passa a tomar conta do corpo de outra pessoa que tenha praticamente a mesma idade. Falando assim há quem fique com medo, mas não me intimidou hora nenhuma. Achei incrível essa ideia do David Levithan, nunca tinha pensado em algo parecido.

“A” não interfere na vida da pessoa, ele tem acesso aos seus pensamentos e segue a rotina normalmente. Até que um belo dia acorda no corpo de um menino, Justin, e logo se apaixona pela a sua namorada, Rhiannon.

“Todo dia uma nova vida. Todo dia uma pessoa diferente. Todo dia a paixão pela mesma garota.”

A partir daí ele começa a luta para reencontrar-se com Rhiannon e viver mais momentos com sua grande paixão. Só que para que isso ocorra, ele precisa quebrar a sua regra de nunca interferir, podendo levar alguns problemas àquelas pessoas em quem habita.

“Mas como ele faz para prosseguir com essa paixão se sempre está em um corpo diferente?” Essa foi a mesma pergunta que me veio à cabeça quando li a sinopse do livro. Não vou contar para vocês porque perde a graça. O que posso garantir é cada página vale a pena! O que deixou a desejar é que não tem continuação, fiquei bem triste por este fato. Me deixou com muitas dúvidas e uma vontade enorme de escrever para o David pedindo por respostas e explicações! Fora isso, é excelente! Uma leitura leve, tão leve que devorei em menos de 24 horas. É aquele livro que você não consegue parar, sempre fica com curiosidade e necessita saber o que vai acontecer no próximo capítulo. Quando acabei de ler, fiquei muito triste porque queria mais, muito mais!

“Trechos do livro: Um dia – David Levithan”

Facebook Comments