Sabe onde você se encontra na minha lista de contatos? Nos favoritos. Quando coloco meu celular no “não perturbe”, você pode me ligar que ele vai tocar. Você é aquela notificação que eu espero com os dizeres: “cheguei em casa” ou “como foi seu dia?” ou “como você está?” ou “estou com saudades, sinto sua falta”. E não me importaria se ele tocasse às 4 da manhã — e você sabe que eu odeio que me acordem. Você é aquele contato do meu celular que eu me importo, que eu me preocupo e quero cuidar. Você não é meu contatinho, você é a minha notificação favorita. E até hoje de manhã, pensava que fosse recíproco.

Hoje descobri que eu sou mais um contatinho da sua extensa agenda e que você não se contenta com pouco — você é colecionador de contatinhos e ilusões aí me deu um estalo. Comecei a perceber que eu sou aquela para fim de noite, para curar o vazio que as outras lhe trazem, e não aquela que você lembra, por gostar da minha companhia. Acabei por entender que você sempre vem atrás quando me afasto porque você não aceita perder, não porque você sente minha falta. Achava que no fim das contas, o resto era resto e eu tinha uma certa preferência na sua vida. Engano meu. O meu erro foi crer que você me bastaria, mas eu quero muito mais que essa sua migalha. E olha, o erro não é seu, é meu, por merecer ser mais do que um contatinho.

Depositei expectativa demais em um coração vazio. Investi minhas ações em uma bolsa que não tinha valor algum. Errei em desperdiçar meu tempo acreditando que você era o protagonista da minha história de amor. Eu não quero ser contatinho da agenda de ninguém! Vim nessa vida para amar, ser amada, viver a reciprocidade no seu mais alto nível. Não quero esses amores de fim de semana, amores de balada, amores de fim de noite. Quero amores que durem, que valham a pena enquanto durarem. Eu quero viver o que eu nunca vivi. Quero alguém ao meu lado que me dê carinho, afinal de contas, um carinho às vezes cai bem, já dizia Caetano. Meu coração não é parque de diversões para qualquer um entrar, se divertir e depois ir embora quando se cansar. Ele foi feito para acolher, aquecer e amar quem está disposto a ficar. Quero alguém com quem divida meus dias, meus medos, minha vida, minhas histórias. Quero alguém para dividir minha conta do Netflix e que não ache bizarra minha playlist eclética do Spotify.

Metades? Meio termos? Não, eu não mereço. Eu mereço mais, eu mereço alguém completo. Alguém que se entregue de corpo e alma para mim e para os meus sentimentos. Alguém que prefira o 80 ao 8. Alguém que me faça acreditar que o amor existe e dá para ser vivido sim, nessa época de competição de quem tem mais contatinhos. Não dá para insistir em alguém que me deixa com mais dúvidas do que certezas. Alguém que me cobra para ser mais presente e, na primeira oportunidade, se torna ausente.

Hoje eu encontrei o buraco dessa canoa furada e consegui me salvar desse naufrágio. Afinal, eu não sei nadar e você não sabe ser salva-vidas de ninguém. E logo eu, que estava tão motivada em ser a sua âncora quando a maré da vida quisesse te derrubar não morri na praia, graças a Deus.

Lembra do começo do texto? Quando eu disse que você era minha notificação favorita? Pois, é, apaguei seu número. Perdão, agora você está com um contatinho a menos. E eu? Livre para salvar outro número. Para mim não importa a quantidade de contatos que eu tenho, se apenas uma pessoa me valorizar. E antes que eu me esqueça: meu anjo, risque meu ‘contatinho’ da sua agenda.

PS: Agora quem está em modo não perturbe é a minha vida. Não perturbe a cabeça e o coração de alguém que é demais para você.

Facebook Comments
(Visited 237 times, 1 visits today)