Você me devolveu.

Eu estava tão concentrada em seguir em frente, em dar a volta por cima, em me levantar depois de uma queda feia que não percebi que uma parte minha, uma parte bonita, uma parte importante, uma parte que eu deveria ter mantido, estava ficando para trás.

Eu sempre admirei essa parte minha.

Mesmo que todos julgassem, mesmo que nem sempre fosse uma parte boa, aos meus olhos ela era linda e eu não queria perdê-la, mas cheguei bem perto disso.

Você chegou, segurou meu rosto, me puxou para perto, me beijou e ali estava ela, minha parte quase esquecida.

Eu me lembrei como era. Me lembrei como era gostar de alguém, amar alguém, me importar e querer ser sempre melhor. Eu me lembrei das borboletas no estômago, eu me lembrei dos sorrisos bobos, me lembrei dos suspiros apaixonados pós-beijos e do frio na barriga na primeira vez. Eu me lembrei de como era dormir lembrando um sorriso e acordar com vontade de ouvir o som de uma risada. Eu me lembrei de quem eu era, de quem eu gostava de ser antes de ser partida.

Você me devolveu todos aqueles arrepios que não são apenas meu corpo reagindo à excitação, você me devolveu aquele arrepio da alma, aquele que faz com que meu coração queria ser de outra pessoa. Você andava em zig zag na minha frente cantando um pagode em uma noite quente de carnaval e eu congelava. Você me olhava e abria seu sorriso de criança fazendo arte e eu sentia cócegas por dentro.

Cócegas por dentro.

Eu quase perdi essa sensação. Quase deixei que ela fosse substituída por alguma outra que envolvesse álcool e meus amigos sem me importar o quão importante ela era para mim. Eu senti falta de sentir cócegas por dentro. A primeira paixão marca nossas vidas para sempre, é aquele tipo de paixão que nunca poderá ser comparada, muito menos substituída ou esquecida, será que sou sortuda demais por ter tido duas primeiras paixões? Tenho aquela minha primeira paixão da época da escola, aquela que me fez pela primeira vez montar um futuro inteiro ao lado de outra pessoa, aquela que se transformou no primeiro namorado, o primeiro grande amor da minha vida e agora tenho essa: a primeira paixão depois de ter me reconstruído, a primeira paixão que me relembrou, a primeira paixão que restabeleceu a parte que eu quase deixei pra trás, a primeira paixão que me relembrou como me apaixonar, devolveu a minha paixão.

Agora ela é inteirinha só minha.

Facebook Comments