“O telefone encontra-se desligado ou fora da área de cobertura. Deixe seu recado após o sinal…”

Alô? Desculpa não ter te atendido. Você provavelmente viu meu nome discando e também não quis me atender, mas mudei de ideia porque preciso falar. Eu não quero falar com você. Ao menos essa noite, eu quero encostar a cabeça no travesseiro e dormir sem ouvir sua voz, dizendo o quanto me ama, sente minha falta e não vê a hora de estar comigo novamente. Eu não acredito. Desculpa. Não depois de tantas mágoas e rompimentos, com tanta coisa que já aconteceu entre nós eu não tenho tanta esperança mais. Confesso.

As coisas nunca mais foram as mesmas e eu tenho plena certeza que eu nunca mais verei aquele brilho nos seus olhos, de quando você me olhava descendo as escadas da minha casa. Você mudou bastante, eu também. Eu sei que as pessoas mudam com o tempo, mas a sua mudança foi diferente, sabe? Cada dia você estava mais distante e eu não sentia mais seu cheiro mesmo com a sua constante ausência. O que quero dizer é que antigamente eu te sentia aqui, por mais que mil quilômetros nos separavam. Sentia seu cheiro, mesmo sem te ver por mais de trinta dias, mas não mais. Desculpa.

Eu não sei onde errei. Ou onde você errou. Talvez, onde nós erramos. De todas as nossas separações, entre todas as vezes que insistíamos em não ficar mais juntos, essa foi a que mais doeu. O término partiu de você e eu fiquei sem entender.

Depois que você se foi, os dias passaram arrastados, era como se o tempo tivesse que empurrá-los porque não queriam ir embora. Era um sofrimento constante, a minha cama era a minha única amiga e meu travesseiro enxugou muito bem todas as minhas lágrimas, suportando gentilmente todos os meus socos e abafando meus gritos de madrugada, quando a sua falta inundava meu quarto.

O fato de não entender onde erramos, dói. Às vezes, eu ainda choro escondida todas as noites pensando em tudo isso que aconteceu e não acho uma saída. Talvez meu problema seja de sempre querer entender demais. É, vou acreditar que seja isso. Quem sabe assim, atravessar os dias seja mais suportável. Mas o que eu queria é que devolvesse minha esperança. Aquela que você roubou quando disse que não me queria mais. Quando desligou o telefone sem derramar uma lágrima por tudo que estava acontecendo e seguiu facilmente seu caminho, me deixando parada e intacta em um mesmo local. Eu queria voltar a acreditar em histórias de amor.

Hoje eu estou aqui, colocando para fora palavras que eu guardei por mais de um mês. Eu não queria mexer nessa bagunça aqui dentro, dói relembrar, sabe? Então criei coragem e estou aqui despejando cada pedacinho remoído com sua secretária eletrônica, me esvaziando e sentindo até mais leve.

Vou ir dormir. Desculpa por não querer ouvir sua voz. É que as vezes, a dor vem à tona e eu lembro e sinto o gosto de cada lágrima que derramei. Ouvir sua voz só vai me fazer lembrar da fé que eu perdi. Tchau.

Pupupu…

Mensagem gravada com sucesso…

Facebook Comments