Eu lembro do dia que prometi a mim mesma, num desses monólogos sem fim que eu faço durante a madrugada, que eu jamais, em hipótese alguma, deixaria alguém entrar na minha vida de novo e abalar as minhas estruturas emocionais. Empilhei tijolos em torno do meu coração e construí meu próprio muro de Berlim. Nada de relacionamentos, contatinhos, nem crush. Até você aparecer. Até eu receber uma mensagem inesperada no meu Facebook, dizendo a combinação certa de palavras para aparecer a primeira rachadura no meu muro.

Tomei seis xícaras de café e gastei uma madrugada inteira para tentar entender qual era a sua. Tive medo. Quis fugir correndo, visualizar e não responder todas as suas mensagens. Mas não tinha jeito. Nossos caminhos haviam se cruzado e não tinha como desviar a rota. Já era tarde demais para te deixar falando sozinho. Eu precisava responder todas as suas mensagens. Cada dia que se passava, eu sentia mais necessidade de falar com você, de ouvir sua voz no telefone e saber como tinha sido seu dia. Eu estava me apaixonando da mesma forma que caio no sono, rapidamente e sem controle. Comecei a ter saudade de momentos que ainda nem havíamos vivido. Saudade do seu toque na minha pele, que nunca havia sentido. Saudade da sua voz sussurrando um boa noite baixinho no meu ouvido, do seus olhos verdes cor de mar paralisados nos meus. Eu comecei a te amar sem nem saber direito o que era amor. Amor verdadeiro. Eu já te amava bem antes de você me perguntar se era cedo demais para dizer te amo.

Hoje, sentada na minha mesinha de canto, olho para nossa foto enquanto ouço nossa música e agradeço aos céus por ter entrelaçado o seu destino ao meu. Agradeço por ter uma companhia que entende meus dramas, que está ao meu lado quando a bad reina e que sabe me conquistar todo santo dia. Que nunca desistiu de mim. De nós. Mesmo depois de algumas confusões e desentendimentos, o seu amor por mim e seu desejo de realizar nossos sonhos sempre foi maior. Sua fé pela gente move montanhas. Ao seu lado, me sinto segura. Com você, me sinto completa.

Você quebrou o meu muro de Berlim. Desmoronou todos os tijolos que eu construí por puro medo de me apaixonar. Trouxe calmaria para meu coração de guerra. Hoje entendo que não importa o que a gente faça para se ver livre de um possível amor. Se for para ser, ele vem com toda força possível e derruba muros e muralhas. Não tem jeito. Quando é para ser, até o errado vira certo. O que era medo, vira certeza. Onde havia só eu, agora há nós. Você não é o meu primeiro amor e que bom que não seja. Hoje tenho mais maturidade do que quando não entendia o que de fato era. Hoje eu sei o que é amor e quem me ensinou foi você. Eu te amo o suficiente. Para o resto da vida.

Facebook Comments