Resenha: O ano em que disse sim – Shonda Rhimes

“O ano em que disse sim – Como dançar, ficar ao sol e ser a sua própria pessoa” é um dos melhores livros que eu já li na minha vida, sério. Também não poderia ser diferente vindo pela Shonda, né? Sou muito viciada em Greys Anatomy e How to Get Away With Murder, então quando fiquei sabendo que ela também tinha escrito um livro, não pensei duas vezes.

Antes de começar este livro, você pode até achar que ele é sobre casamentos, sobre dizer sim ao amor da sua vida no altar, mas não… Pode parar por aí se você espera que seja sobre casamentos e tudo mais. Não, ele também não é um livro de auto ajuda, não dita o que você deve fazer. Ele vai muito além e te surpreenderá em todos os capítulos.

Tudo começou quando Shonda estava no jantar de “thanksgiving” (ação de graças), e durante a preparação conversava com sua irmã Delorse sobre os diversos convites chiques que recebia para as festas e eventos. A irmã questiona se ela iria realmente fazer alguma daquelas coisas e imediatamente Shonda responde que está ocupada demais. É mãe solteira de duas meninas, tem suas séries para coordenar, escrever… Delorse a surpreende dizendo: “você nunca diz sim para nada”. A partir daí, a vida da nossa escritora muda completamente.

Eu fiquei surpresa ao saber que ela é/era uma pessoa introspectiva, tímida, que nunca gostou dos holofotes, que tinha ataques de pânico em entrevistas e que pensava coisas um pouco absurdas (para quem está de fora e é totalmente seguro ao falar em público) assim como eu, como soltar “catarro de medo” em um programa ao vivo.

Não vou entrar em muitos detalhes de todos os processos que ela passou, porque você precisa ler esse livro em algum momento da sua vida. O que posso te adiantar (que nem é tão spoiler assim), é que ela decide ter o seu ano do sim. Ela promete que dirá sim para TUDO.

“Sim a tudo que é assustador. Sim a tudo que me tira da zona de conforto. Sim a tudo que parece loucura. Sim a tudo que parece deslocado. Sim a tudo que parece idiota. Sim a tudo. Tudo.”

Os relatos de Shonda sobre o seu ANO DO SIM nos faz sentir próximos à ela. Como se fôssemos amigas e ela apenas está contando suas aventuras, porque faz tempo que não nos encontramos pessoalmente para conversar, sabe? Uma leitura leve, que flui bem e nos faz perder a hora.

 

Começamos a perceber todas as consequências boas que essa decisão teve na vida dela e a transformação que viveu. Ela disse sim a cuidar da sua saúde, à entrevistas, sessões de foto, discursos de faculdade para mais de 10 mil alunos e várias outras situações que ela estava acostumada a fugir. (Fiquei tentada a fazer o ano do sim na minha vida, mas ainda não tive coragem, confesso).

Um relato que vale a pena citar nessa resenha, foi de como nós, mulheres, estamos acostumadas a nos encolhermos quando somos elogiadas. A Shonda recebeu uma homenagem durante o jantar da revista Elle, por ter mudado a figura da mulher negra na TV e o que ela fez? Se encolheu, ficou vermelha de vergonha, cobriu o rosto e não aguentou ouvir o quão incrível ela é. Ao perceber sua atitude, notou que era algo que deveria dizer sim. Dizer sim a ELA, a sua aceitação e ao tanto que ela é incrível.

Ela me ensinou uma palavra maravilhosa (que será uma das minhas próximas tatuagens), que é “DURONEZA”. Depois que eu adaptei essa palavra ao meu vocabulário, ficou mais fácil suportar algumas coisas.

Quem é fã ou acompanha as séries que ela escreve, tenho certeza que também gostará do livro. Tem diversos comentários e citações das séries. Ela conta como foi o processo de escolha de uma determinada música muito importante para Greys Anatomy, compartilha seu relacionamento com atores e o seu processo de escrita.

Recomendo o livro para todas as pessoas que precisam dizer mais sim. Para elas mesmas. Para a vida. Para as oportunidades.

SINOPSE: “Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder. Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.”

 

 

Post anterior365 chances de viver intensamente
Próximo post8 frases do Rumi que vão te inspirar
Tem coração que bate. O meu, escreve. 24 invernos bem capricornianos, colecionadora de passagens de viagens, não pensa duas vezes antes de botar o pé na estrada. Mas cursa Jornalismo, é estagiária e você sabe como é, né? Tenho mania de não falar pelos cotovelos, mas escrever como um furacão.
Compartilhar

Comentários no Facebook