Ser feliz nem sempre é uma escolha, e tudo bem

Todo mundo quer ser feliz, essa é a busca principal da vida, eu acho.  É como se tudo se resumisse à felicidade. E, é claro, se fosse uma simples questão de querer, não haveria uma lágrima sequer derramada em toda nossa existência.

Mas a vida é cheia de peculiaridades. Cobranças. Tristezas repentinas. Dias cinzentos.

E eu acho necessário. É necessário ficar triste sim, vez ou outra, caso contrário, o que haveria de tão extraordinário na felicidade? Seria até difícil reconhecê-la. A felicidade é especial porque enfrentamos a tristeza de perto. Seria como só comer chocolate durante a vida toda. A gente enjoaria, né? Passaríamos a odiar chocolate. Ele perderia o gostinho especial que tem.

Os momentos tristes são válidos sim, por mais que a gente queira pensar o contrário. Eles não são descartáveis, eles servem pra ensinar, pra valorizar os momentos em que não se fazem presentes. Escolha sim, refletir, buscar a parte boa de um dia ruim, saber aproveitar tudo de alguma forma proveitosa. É como aquela frase clichêzona “para ver o arco-íris é preciso passar pela chuva” e eu acredito que os clichês sejam clichês porque são bons, não? Tem funcionado até agora.

É claro que podemos nos abrir pra felicidade, em alguns casos, mas às vezes é complicado ver beleza aos quatro cantos. Principalmente quando você enfrenta algum problema como ansiedade, depressão, pânico. É bem difícil ser feliz todos os dias. E saiba que não há problema nisso.

A nossa vida não está toda em nossas mãos, não existe um botão para acionar e ficar feliz desde então. Às vezes é um diazinho ruim, acontece. Nem sempre estamos dispostos a deixar a alegria se estabelecer, simplesmente porque não é uma escolha possível. Não se sinta culpado por não conseguir acordar com um sorriso enorme no rosto, aplaudindo o Sol, agradecendo por cada coisinha presente em sua vida. Nem todo mundo consegue ser assim, nem todo mundo é obrigado a ser.

A felicidade, de fato, mora dentro de você. Só que por alguns momentos ela pode se sentir um pouco soterrada pelos sentimentos ruins. O importante é ter em mente que esse período nunca é longo o bastante para matá-la. Ela espera, pacientemente, pelo dia em que poderá vir à tona novamente. E é como um ciclo, tudo muda, tudo volta, tudo se renova.

Tente sobreviver a isso, com todas as suas forças. A felicidade aparece sempre, é só ser paciente. O ciclo sempre volta à ela.

Comentários no Facebook