Você só me procura quando quer

Está ficando chata essa ligação todo final de domingo, depois de ter passado o final de semana todo beijando outras bocas, sentindo outros perfumes, trocando o número de telefone e jurando amores que eu canso de ouvir quando você se esgota de encontros vazios. Essa sua ladainha me dá repulsa, você se tornou um completo idiota.

Só que por muito tempo quem foi esse idiota, fui eu. Eu que estava aqui sempre acreditando, sempre na espera que depois daquela ligação tudo seria diferente, mas você só estava acomodado na situação em que eu deixava você ficar. Inventando mil desculpas durante a semana, que está com agenda cheia, bastante coisa no trabalho, sempre cansado depois das aulas da faculdade e eu fui ficando pra depois, bem pra depois. Isso durou meses até que eu pude realmente me livrar de tudo, me livrar de você.

Eu carregava esse peso desnecessário de alguém que não queria ficar, que só queria me visitar quando a carência apertava seu peito e sufocava. Eu era o seu balão de oxigênio. Você nunca foi homem, nunca teve coragem, nunca soube se decidir, mas não te culpo, quem precisava sair era eu, quem precisava se libertar era eu. Acredito que quando tomamos uma decisão na nossa vida, cada escolha, cada passo, deixa algo para trás, deixa feridas para trás.

O tempo nunca de fato apaga as coisas, são as nossas atitudes no dia a dia que faz mudar, que faz sair do comodismo (e como eu odeio essa palavra), você me fez sentir o meu medo mais profundo. Mas eu nunca duvidei que fosse amor da minha parte, eu nunca desisto quando o sentimento me invade, sabe por quê? Não sei ser meio termo, não curto ser metade pra ficar na esperança de que o próximo vai ser melhor do que o de agora.

E esse foi o meu mal, eu esperei muito tempo por alguém que me tinha como mais um, e na verdade, você me usou como uma ponte pra ter sempre em quem se apoiar quando não tivesse ninguém, sabia que eu estaria ali suportando, o problema é que você não vai encontrar amor maior do que eu te dei, eu realmente era seu suporte e agora eu me libertei, fui embora, e você não tem mais em quem se apoiar, caiu, está no limbo, está onde você sempre esteve. E se eu pude tirar uma lição dessa experiência um pouco catastrófica, foi que: não adianta amar quem não quer ser amado.

Conheça nosso Instagram @1quartodecafe

Post anteriorSou feita de estrelas
Próximo postDesde quando te esqueci
"Estudante de Jornalismo. Um pouco influenciado por romances, me arrisco em escrever sobre o amor e suas facetas. Fanático pelo Botafogo e prefiro correr ao ar livre do que na esteira."
Compartilhar

Comentários no Facebook